quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

«LONGE DO CORPO»



Soubemos do espectáculo LONGE DO CORPO porque esteve em cena há poucos dias no Teatro Municipal Joaquim Benite. Já teve apresentações anteriores e quem sabe virá a ter outras. Coordenadas: 

MARTA FREITAS:  Texto original, dramaturgia e encenação

SINOPSE
"O vosso Carlos nunca existiu. É um fantasma, uma carcaça, que vocês querem conservar e esconder. Não é a convencerem-se de que isto vai passar que passa. Não passou. E a prova disso é que, todas as noites me fecho no meu quarto para poder existir. Para poder olhar-me ao espelho e sentir-me um pouco melhor."
Numa altura em que, para Carlota, fazer desaparecer Carlos, a encaminha para o desespero, Rogério cruza-se com ela. Os dois juntos iniciam uma viagem onde o corpo e o amor não têm forma.

DA AUTORA
A transexualidade é um tema incrível. Admira-me que esteja tão pouco representada no teatro. Uma pessoa que nasce com um corpo que não é o seu, que, desde criança, sente que a sua alma não pertence àquele corpo. Como o ator, que representa uma personagem, que vive um mundo que não é o seu. Com este projeto cresci, aprendi que temos uma série de ideias feitas acerca das coisas, do mundo. Falar com a Letícia (antes Leandro), com o António (em breve Telma), e com outros transexuais de coragem, mostrou-me que, por muito que queiramos, por vezes, não conseguimos encaixar a realidade nos conceitos. Exigem-nos um mundo organizado, para não nos confundirmos, mas a verdade é que somos bem mais do que homens ou mulheres, somos, acima de tudo pessoas. Pessoas. PESSOAS. 


SAIBA MAIS.




Sem comentários:

Publicar um comentário