domingo, 21 de outubro de 2012

APRENDER COM OS PREMIADOS - SEIXAL



SEIXAL  foi um dos municípios distinguidos com O Prémio Viver em Igualdade como divulgamos em post anterior.  E tal como já fizemos com Abrantes vamos agora ver o que se passa no Seixal, recorrendo ao seu site. Desde logo, dão visibilidade ao Prémio escrevendo: O município do Seixal foi distinguido com o prémio Viver em Igualdade, uma iniciativa bienal promovida pela Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, no âmbito do IV Plano Nacional para a Igualdade, Género, Cidadania e Não-discriminação. Esta é a primeira edição do prémio que pretende distinguir e incentivar os municípios nas boas práticas na área da Igualdade de Género, Cidadania e Não-discriminação, na sua própria organização ou funcionamento, bem como nas atividades por si desenvolvidas.
A cerimónia de entrega do prémio decorre no dia 24 de outubro, em local a anunciar, onde serão distinguidos os municípios vencedores».
E das boas práticas: 
  
A Ação Social Municipal promove o desenvolvimento social local e a cidadania, através de uma intervenção fundamentada em redes e parcerias e combatendo todas as formas de exclusão.
No âmbito das medidas de intervenção social municipal, está disponível um serviço informativo e de encaminhamento, com atendimento técnico e jurídico para todas as pessoas vítimas de violência doméstica.
 A Linha 65 está disponível desde março de 2012 para denunciar maus tratos a pessoas com mais de 60 anos ou em situação de dependência, através do número: 800 208 875. E são áreas de interveção na Ação Social: Cidadãos Idosos; Cidadãos com Deficiência; Crianças e Jovens; Igualdade de Género e Oportunidades. E, por exemplo, nesta última, com mais detalhe:
 
 
Grupo de jovens da Quinta da Princesa
 
«O bairro da Quinta da Princesa possui 40 por cento de imigrantes, maioritariamente cabo-verdianos. Esta comunidade depara-se com algumas problemáticas socioeconómicas a diversos níveis, como o desemprego, trabalho precário, baixos níveis de escolaridade, fraca capacidade económica dos agregados familiares, famílias monoparentais, problemáticas associadas ao tráfico e consumo de estupefacientes, abandono escolar, entre outros.
O Programa Escolhas tem como metas a mobilização das comunidades locais para projetos de inclusão social e de igualdade de oportunidades, especialmente dirigidos a crianças e jovens oriundos de contextos socioeconómicos vulneráveis».
Mas o melhor é mesmo ir lá, ao site, e ver tudo.

Sem comentários:

Publicar um comentário