terça-feira, 16 de julho de 2013

«GÉNERO» EM TUDO | da África do Sul no Próximo Futuro (Gulbenkian) ao livro «Joaquim Benite» passando por «Gender & History»



Veja aqui



«The Gender Equity Unit is celebrating 20 years of intellectual activism. As part of our festivities we want to show our appreciation and gratitude and celebrate with you. We invite staff, students, volunteers, stakeholders from NGO's, CBO's, businesses and the UWC community to celebrate with us.
20 Years of Intellectual Activism! 20 Years of Educating for Equity!» Veja mais. 

 As imagens acima decorrem da incursão que fiz pela internet ao ver referido The form of the norm: spectres of gender in South African photography of the 1980s’ in Social Dynamics Special Issue on Scripted Bodies, Spring 2011 neste post de Alexandre Pomar sobre o Próximo Futuro da Gulbenkian, ou seja, o post Patricia Hayes (Próximo Futuro) que começa assim (destaque nosso): 

«entre os participantes no programa do Próximo Futuro (Festival da Literatura e do Pensamento do sul da África), atenção a Patricia Hayes, que tem escrito sobre fotógrafos como Santu Mofokeng e John Liebenberg e em geral sobre a fotografias da África do Sul e da Namíbia. Também interessada por Angola e Moçambique. (Dia 21 - 19h). Patricia Hayes works on history, gender and visuality in Bellville, Cape Town. She teaches in the History Department of the University of the Western Cape, Bellville, Republic of South Africa.
Originally from Zimbabwe, she completed her PhD on the colonisation of northern Namibia and southern Angola at Cambridge University in 1992. She has worked briefly in the USA (1992-3) and held fellowships in the UK, USA and Brazil. She has collaborated in several research projects to highlight South Africa’s role as a colonial power in Namibia, focussing on the inter-war years, the colonial photographic archive, and most recently war photography from the Namibian liberation struggle – often called the last white war in Africa. She has been a Guest Editor of the journal "Gender & History", and is now engaged in a major research study of documentary photographers in South Africa during late apartheid.
http://www.uwc.ac.za/Biography/Pages/Patricia-Hayes.aspx
(...)».


Procurei«Gender & History»:

Cover image for Vol. 24 Issue 3


E tudo isto no dia em que tinha assistido a homenagem a Joaquim Benite no Festival de Teatro de Almada que incluiu o lançamento, na Casa da Cerca, do livro «JOAQUIM BENITE DESAFIOU PRÓSPERO ... e inscreveu o mundo no seu Teatro», de Maria Helena Seródio, que tem o capitulo «Discurso no feminino». Pode saber mais sobre o que se passou em Almada.







Depois disto, que síntese? Parece ser cada vez mais claro que a questão de género será um lado pelo qual, no quotidiano, devemos olhar as nossas atividades quaisquer que elas sejam:   individuais e coletivas, em termos nacionais,  mundiais, e de cada organização. Não parece fácil! pois não ... Mas, olhando à volta, como se vê, isso acontece ... E nomeadamente em ambiente de cultura e artes.


Sem comentários:

Publicar um comentário