quinta-feira, 9 de junho de 2016

APRESENTAÇÃO | «Homicídios Conjugais / Estudo avaliativo das decisões judiciais» | 14 JUNHO 2016 | 17:00 H | PORTO


Disponível aqui.


Nota Prévia
«A violência doméstica, especialmente a que ocorre em contexto de relações de intimidade, constitui uma das principais causas de morte e de ferimentos em mulheres em todo o mundo. O homicídio conjugal, enquanto expressão extremada desta violência, tem sido fortemente mediatizado, estimulando a discussão e o debate em torno dos contextos, das relações e das políticas públicas em matéria de prevenção e combate, efetivo, à violência doméstica. 
Ao invés do homicídio cometido por desconhecidos, o homicídio conjugal não é, tipicamente, um crime imprevisto. Este homicídio traduz, frequentemente, o culminar de uma história de abusos e de violência, nem sempre reportado às autoridades policiais e judiciais, mas quase sempre do conhecimento dos vizinhos ou da família.
A Comissão para a CidadaniaeaIgualdade de Género (CIG), dando cumprimento à Medida 49 no âmbito do V Plano Nacional de Prevenção e Combate à Violência Doméstica e de Género (2014/2017), promoveu um estudo avaliativo sobre as Decisões judiciais em matéria de homicídio conjugal. Levado a cabo pela Escola de Criminologia da Faculdade de Direito da Universidade do Porto, entre setembro de 2014 e junho de 2015, este estudo foi apresentado, publicamente, no dia 10 de julho de 2015, no Auditório Novo da Assembleia da República.
Ao publicar, agora, o referido estudo, integrando-o na Coleção «Estudos de Género», a CIG procura, assim, contribuir, não só para o aprofundamento do conhecimento científico de natureza criminológica sobre o fenómeno do homicídio conjugal e a promoção da qualidade, eficiência e eficácia da intervenção no âmbito do processo-crime por homicídio conjugal, mas também para a sua divulgação junto do público em geral». Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género 



A P R E S E N T A Ç Ã 0
  14 junho 2016 | 17:00h
 Salão Nobre da Faculdade de Direito
 da Universidade do Porto

,

Sem comentários:

Publicar um comentário