terça-feira, 15 de janeiro de 2019

«A EUROPA NO FEMININO»




RECORTE DO ARTIGO DA REVISTA 
DO SEMANÁRIO EXPRESSO DE 12 JAN 2019 



Excertos: «(...)“As dificuldades financeiras são o maior entrave, uma vez que há apenas um rendimento para a manutenção do agregado familiar.” No entanto, acrescenta, “tenho uma família que me apoiou desde início. Há um apoio e presença forte da família alargada, nomeadamente da avó e avô paterno, que ajuda muito. Como diz o provérbio: ‘É preciso uma aldeia inteira para educar uma criança.’ Às vezes penso como conseguem viver as mulheres na mesma situação que não têm apoio financeiro da família. Há também alguns momentos de solidão e necessidade de partilhar os meus desafios com mulheres que vivem na mesma situação. Tenho o projeto de criar, um dia, um grupo que seja um espaço de encontro para mães que vivam na situação de monoparentalidade”. Quanto à sua filha: “Encara com toda a naturalidade a situação de família monoparental, uma vez que sempre viveu neste contexto desde que nasceu.”(...)Em Portugal, assim como na Europa, as mulheres estão em franca maioria. Portugal é mesmo o quarto país europeu com maior número de mulheres, só ultrapassado pela Estónia, Lituânia e Letónia. Na Europa são pouquíssimos os países em que o número de homens é ligeiramente superior ao de mulheres. Atualmente, a média europeia é de 105 mulheres por cada centena de homens, sendo que Portugal se qualifica bem acima desta média: por cada 100 portugueses, há 111 portuguesas. É no grupo etário mais velho (pessoas com mais de 65 anos) que esta diferença mais se acentua na Europa, e Portugal não foge à regra. Por cada 100 homens com 65 anos ou mais, há 133 mulheres da mesma faixa etária. O futuro, porém, parece trazer um reequilíbrio de género, já que nos jovens com idade até aos 18 anos, o padrão inverte-se na mesma proporção. Para cada centena de indivíduos do sexo feminino com 18 ou menos anos, há 105 do sexo masculino. A Letónia é o país mais feminino da Europa, com 118 mulheres por cada centena de homens, seguido de perto pela Lituânia, com mais 17 por cento de indivíduos do sexo feminino. (...). 


Destaque
«NA UNIÃO EUROPEIA, 7,7 POR CENTO DAS MULHERES COM IDADES ENTRE OS 25 E OS 49 ANOS VIVEM SOZINHAS COM OS FILHOS. NA MESMA FAIXA ETÁRIA, APENAS 1,1 POR CENTO DOS HOMENS VIVEM EM REGIME MONOPARENTAL»


Sem comentários:

Publicar um comentário